BB anuncia criação de cadastro paralelo de ascensão para caixas e escriturários

7bb4e689a1dac81c7b590eecc44b6b2a

Brasília – A direção do Banco do Brasil anunciou, na última quinta-feira (4), a criação do Programa de Identificação de Talentos (PIT), que cria certificação para caixas e escriturários, possibilitando que os melhores classificados concorram para vagas de assistentes mesmo sem estarem entre os vinte primeiros colocados no cadastro do sistema de Talentos e Oportunidades (TAO).

Antes da criação dessa certificação, as nomeações de escriturários e caixas para as vagas de assistentes só podiam ser preenchidas por meio de escolha subjetiva dos gestores entre os vinte primeiros colocados no TAO. Agora, além dos vinte primeiros colocados, também concorrerão dez funcionários desse cadastro de certificação (PIT).

PDG e cursos de interesse do BB têm grande peso na certificação

A certificação anunciada pela empresa contará com cinco quesitos:

Formação, que envolve tempo de banco e formação superior, com peso de 20%;
Desempenho, com peso de 30%, que engloba resultado da GDP de pares e superiores e premiação PDG (Programa de Desempenho Gratificado);
Capacitação, com peso de 15%, consistindo na grade básica de cursos da ECBB;
Carreira, com peso de 15%, envolvendo cursos e certificações relevantes para a área gestora;
Game desenvolver, com peso de 20%, abrangendo cursos do game e pontuação mentoria (mentorado).
Em reunião com a Comissão de Empresa, que representa os funcionários, o BB afirmou que, para os casos dos funcionários que não tiveram avaliação GDP, haverá um rearranjo de peso nos outros itens.

A diretora do Sindicato Maria José Furtado, a Zezé, lembra que “o Sindicato defende critérios claros e objetivos de ascensão profissional e reivindica que todas as funções na empresa sejam preenchidas dessa forma”. Segundo a dirigente, “a criação da certificação para caixas e escriturários não resolve a questão do excessivo poder subjetivo dos gestores nas nomeações pelo TAO, e ainda cria um cadastro paralelo que traz ainda mais poder aos superiores hierárquicos, já que a avaliação GDP e o programa PDG têm pesos relevantes na pontuação da certificação”.

O Sindicato dos Bancários de Brasília reafirma seu posicionamento e reivindica que todas as ascensões sejam realizadas por meio de programas com critérios transparentes e objetivos.

Fonte: SEEB/Brasília – Da Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>