Contraf-CUT reivindica postergação do fim da assistência à saúde aos ex-empregados do Bradesco

Pandemia dificultou a contratação de um novo plano

A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) solicitou, por ofício enviado na tarde de sexta-feira (12), a postergação da assistência à saúde aos ex-empregados do Bradesco, aderentes ao Plano de Demissão Voluntária (PDV) de 2019.

Magaly Fagundes, coordenadora da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Bradesco, explicou que a pandemia do novo coronavírus (Covid-10) trouxe uma inesperada situação a estes ex-empregados, seja pela dificuldade de contratar um novo plano e ser impactado com períodos de carência, seja por estarem em pleno tratamento médico tanto para tratar da nova doença quanto para tratar de suas sequelas e outros tratamentos de longo períodos e/ou exames de acompanhamento, como os que tratam câncer.

“Este cenário, totalmente inesperado por todos, assim como a aproximação do fim dos 18 meses de cobertura do pagamento do seguro saúde, coloca muitas vidas em situação muito difícil. Solicitamos a compreensão da direção do Bradesco neste momento difícil e desafiador e que sejam postergados por mais 180 dias o benefício de saúde aos ex-empregados que aderiram ao PDV de 2019”, explicou Magaly.

MAGALY FAGUNDES

You may also like

Popular News